By Gope Percussão Instrumentos Musicais

Gope Percussão - Instrumentos Musicais

História da Empresa

Humberto Henrique Rodella fundou a GOPE em 9 de maio de 1962, na Rua Sinimbú, na Capital Paulista, quando ainda trabalhava com seu pai, Oswaldo Rodella - artesão de instrumentos musicais- na construção de baterias. Ali a linha começou a diversificar-se, surgindo os surdos, repiniques, tamborins e pandeiros:  a percussão carnavalesca.

"Com o sucesso dos Beatles e a grande reviravolta na música, começaram a surgir no Brasil os grupos que mais tarde criaram o movimento da Jovem Guarda. Graças a sua amizade com Roberto Carlos, Erasmo, Tim Maia e Beatnicks, Humberto se aproximou da TV Record, e por meio de contato com o diretor, Hélio Ansaldo, conseguiu o que poderíamos chamar de primeiro contrato de merchandising de  que se tem notícia na TV brasileira. Tendo sua marca no palco dos programas mais importantes do país - como Jovem Guarda, liderado por Roberto Carlos; O Fino da Bossa, comandado por Elis Regina; Spotlight, cujo anfitrião era Wilson Simonal; Grandes Festivais, organizado por Solano Ribeiro, entre outros - A GOPE esteve presente em alguns dos momentos que podem ser considerados como o auge da produção musical brasileira."


"Como a estratégia de marketing havia dado excelente resultado, a procura de instrumentos foi maior que a capacidade de produção da fábrica. O que forçou Oswaldo e Humberto a partirem para um espaço maior. Com o objetivo de ampliar a fábrica, pai e filho se mudaram com toda a ferramentaria para um galpão de 500 metros quadrados no Ipiranga, em 69. Com tudo instalado e a linha de produção ativada, os Rodella receberam a notícia de que o prédio seria desapropriado para ampliação do mercado municipal do Ipiranga. O baque foi tão forte que o coração de Oswaldo não aguentou. Com o falecimento prematuro de seu pai aos 55 anos, o jovem Humberto se viu obrigado a arregaçar as mangas e, sozinho, tocar a GOPE em frente. De maneira arrojada e mostrando que nada o iria abater, em 72 Humberto mudou para um salão quatro vezes maior na rua Celso Garcia, onde começou a expandir  a linha de percussão. Mais tarde, buscando maior qualidade de produção, começou a construir  fábrica própria na cidade de Embu Guaçu (SP) com 10.700 metros quadrados e, ao mesmo tempo, partiu para a fabricação de instrumentos de sopro e de corda."


Em Embu Guaçu, a Gope continua , já agora fabricando instrumentos de percussão e uma linha de sopro que faz sucesso com as fanfarras de nosso país. Humberto continua com seus projetos de expansão, esteve 5 vezes na MUSIKMESSE  em Frankfurt, Alemanha, e planeja novamente começar a freqüentar grandes eventos no mundo afim de ampliar  a gama de exportações  da Gope que já se estende a importantes países da Europa e é responsável por uma parte considerável do faturamento da empresa.

alt   alt

Vista aérea da fábrica em Embu Guaçu                                                         Humberto Henrique Rodella


* A parte entre aspas  foi extraída da revista "Batera" edição de novembro de 2001